CIN - Perguntas Frequentes

FAQ: 

1. O que é a Coordenadoria de Informações Institucionais e Indicadores - CIN?

É uma unidade vinculada à Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional. É composta por duas seções: Seção de Gerenciamento da Informação e Seção de Avaliação de Indicadores. Também integra essa coordenadoria o Pesquisador Institucional.

2. Quais as atribuições da Coordenadoria de Informações Institucionais e Indicadores - CIN?

A partir da Resolução Nº134/2014-CONSU, podem-se elencar as seguintes atribuições da CIN: • Estudar, propor e acompanhar o desenvolvimento de projetos e pesquisas institucionais de informações gerenciais e indicadores; • Acompanhar a gestão das informações nos sistemas institucionais, inerentes aos processos de responsabilidade da Coordenadoria, de acordo com as políticas e diretrizes institucionais; • Administrar os indicadores de desempenho institucionais, bem como outros referentes às atividades do setor; • Propor ações para a constituição de informações institucionais e de indicadores fidedignos, levantados por essa Coordenadoria; • Disseminar informações institucionais e indicadores a partir da elaboração de publicações específicas.

3. Qual a importância do trabalho da Coordenadoria de Informações Institucionais e Indicadores para a UFRPE?

A CIN, sendo responsável pela prestação de informações aos órgãos externos, coleta de dados do Censo e, pelo gerenciamento dos indicadores (Relatório de Gestão TCU), atua diretamente na constituição do orçamento da Instituição e contribui no planejamento institucional apontando, através dos resultados dos indicadores institucionais, os pontos nos quais a Universidade precisa melhorar e as áreas que vêm obtendo sucesso em suas ações.

4. Quais as atribuições da Seção de Gerenciamento da Informação?

I – elaborar e cooperar no desenvolvimento de estudos, projetos e pesquisas institucionais de informação gerencial; II – propor ações para adequação e aprimoramento da coleta e sistematização de informações institucionais; III – atuar na coordenação e na prestação de informações ao MEC e demais órgãos externos no âmbito de sua competência; IV – orientar as unidades organizacionais sobre a atualização permanente das informações nos sistemas institucionais e realizar acompanhamento; V – levantar, analisar e divulgar informações institucionais.

5. No que consiste o Gerenciamento?

O gerenciamento da informação consiste prioritariamente em coleta de dados periódica e posterior tratamento desses dados para divulgação das principais ações desenvolvidas pela UFRPE. Essa coleta além de subsidiar a construção de várias publicações, dá suporte ao desenvolvimento de outras atividades. As principais publicações fruto dessa coleta de dados são: Revista UFRPE em Números, Relatório de Atividades, Relatório de Gestão, além de folders e catálogos. As principais atividades que são desenvolvidas a partir da coleta de dados são: Censo da Educação Superior e desenvolvimento de estudos estatísticos sobre taxa de sucesso, evasão e outros.

6. Como é realizado o Gerenciamento da Informação?

Anualmente é realizada uma reunião com alguns dirigentes, onde são repassadas as instruções e respectivos formulários de coleta, os quais ficam disponíveis no site da PROPLAN. Ao fim, os setores encaminham seus relatórios para o e-mail da CIN. No decorrer do ano também são realizados encontros e reuniões com a finalidade de sistematizar informações importantes para a UFRPE.

7. Em que consiste o Relatório de Gestão do TCU?

O Relatório de Gestão é um dos instrumentos de prestação de contas dos órgãos públicos. Todas as Instituições Federais de Ensino Superior – IFES são obrigadas a apresentarem, anualmente, o seu Relatório de Gestão ao Tribunal de Contas da União – TCU e à Controladoria Geral da União – CGU.

8. Quais as competências da Seção de Avaliação de Indicadores?

I – analisar dados estatísticos relacionados aos indicadores de desempenho institucionais; II – elaborar e cooperar no desenvolvimento de estudos, projetos e pesquisas institucionais de gerenciamento dos indicadores; III – propor ações para adequação e aprimoramento da coleta, sistematização e melhoria dos indicadores institucionais; IV – prestar informações para a elaboração de projetos, planos e ações que contribuam para a melhoria da gestão acadêmica e resultados institucionais; V – elaborar e divulgar os indicadores de desempenho e as análises estatísticas da UFRPE.

9. O que são Indicadores Institucionais?

Indicadores Institucionais são parâmetros e critérios que possibilitam mensurar os resultados alcançados por uma Instituição. A partir da construção de indicadores é possível acompanhar e avaliar, de forma periódica, as variáveis consideradas importantes para a Instituição, constituindo uma base para a tomada de decisões.

10. Em que consiste a avaliação dos Indicadores Institucionais?

A avaliação dos Indicadores Institucionais permite o acompanhamento da evolução de aspectos relevantes do desempenho de uma Instituição, indicando a necessidade de aperfeiçoamento em áreas específicas, ou mesmo a correção de eventuais disfunções. As informações gerenciais extraídas desse acompanhamento são utilizadas pelo Ministério da Educação, no monitoramento das ações e resultados das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES).

11. Como é feita a avaliação dos Indicadores Institucionais?

A avaliação dos indicadores institucionais pode ser feita em três etapas principais: coleta e levantamento dos dados institucionais do estudo em questão, cálculo dos respectivos indicadores e interpretação dos resultados alcançados pela Instituição, comparando com aqueles obtidos em anos anteriores ou até mesmo com outras Instituições.

12. O que são os Indicadores de Desempenho?

São indicadores definidos pelo Tribunal de Contas da União, através da Decisão Nº 408/2002 do TCU, com a função de acompanhamento da evolução de aspectos relevantes do desempenho de todas as IFES, o que pode indicar a necessidade de aperfeiçoamento em áreas específicas ou mesmo correção de eventuais disfunções, a inclusão de tais indicadores no Relatório de Gestão das contas anuais é obrigatória.

13. O que são os Indicadores de Qualidade?

São indicadores constituídos pelo MEC que sugerem parâmetros de qualidade do sistema federal de ensino superior. Estes indicadores são referentes ao curso, às instituições e aos estudantes: • De curso: Conceito Preliminar de Curso - CPC. Portaria MEC Nº 04, de 05 de agosto de 2008; • Das instituições: Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição - IGC. Portaria MEC Nº 12, de 05 de setembro de 2008; • De estudantes: Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - Enade. Lei 10.861, de 14 de abril de 2004.

14. O que é Censo da Educação Superior?

Todas as Instituições Federais de Ensino Superior – IFES são convocadas para responderem ao Censo da Educação Superior coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep. São coletadas informações discentes, docentes, de acessibilidade, dos cursos, da gestão financeira e orçamentária entre outras. Esses dados subsidiam a implantação de políticas públicas; a composição da matriz orçamentária da Instituição e dos Indicadores de Avaliação de Qualidade (CPC e IGC).

15. O que é Pesquisador Institucional - PI?

A figura do Pesquisador Institucional - PI surgiu com a Portaria Normativa MEC Nº 46, de 10 de janeiro de 2005, atendendo a necessidade do Ministério da Educação da existência de um interlocutor entre as IES, o ministério da Educação e outros órgãos externos. O PI é indicado pelo dirigente máximo da IES.

16. Quais as atribuições do Pesquisador Institucional – PI?

De acordo com a Portaria Normativa MEC Nº 46 de 10 de janeiro de 2005, o PI deve ser responsável pelas informações inseridas anualmente no Censo da Educação Superior.

17. O que é Procurador Institucional?

O Procurador Institucional surge com a Portaria Normativa MEC Nº 23 de 2010 como um interlocutor entre as IES, MEC e outros órgãos externos.

18. Quais as atribuições do Procurador Institucional?

Manter as informações cadastrais dos cursos atualizadas no E-MEC e acompanhar os processos de regulação (reconhecimento, renovação dos cursos) e Enade.